Cooperativismo e Turismo Rural: uma união viável?

Fonte: www.destinationcadiz.com

   Ainda pouco conhecido pelo grande público, o turismo rural é uma das atividades não agrícolas que mais cresce no meio rural dos países desenvolvidos, representando um importante mecanismo de geração de emprego e renda. No Brasil, o turismo no meio rural vem ganhando cada vez mais espaço, em virtude disso, despertou um crescente interesse por parte do mercado. Segundo dados recentes do Ministério do Turismo, este segmento está em franco crescimento, apresentando um aumento de 35% e movimentando mais de R$ 5 milhões por ano.

   Antes de mais nada, é preciso compreender a associação entre essas duas atividades (turismo e agricultura). Com as profundas mudanças ocorridas no meio rural brasileiro, essencialmente após a década de 1970, o setor aos poucos vai perdendo o seu caráter produtivista, ligado basicamente à agricultura e pecuária, e passa a investir em diversificadas atividades econômicas. Contudo, isso não significa que a agricultura como atividade produtiva vem perdendo a sua importância econômica e social a partir desse momento, mas que, além dela, os produtores estão buscando fontes alternativas de geração de renda. Assim, o turismo e o lazer vêm ocupando cada vez mais espaço no meio rural e se transformam em uma tendência para muitas regiões do país. O grande potencial desta modalidade de turismo está sendo organizada em diferentes regiões do país, tornando acessível uma realidade pouco conhecida entre a população dos grandes centros urbanos.

   Por ser um país com uma grade diversidade cultural e por possuir uma ampla quantidade de paisagens naturais, o Brasil tem adquirido destaque no cenário internacional desse setor. Além dos atrativos históricos e culturais, em diversas regiões do país podem-se encontrar fazendas do período colonial que ainda guardam a originalidade peculiar à época. Grande parte dessa riqueza permaneceu desconhecida do grande público durante décadas e hoje vem sendo explorada de maneira responsável por organizações não governamentais, por iniciativas públicas e privadas, herdeiros, até mesmo associações e cooperativas.

   Pelo país existem diversas iniciativas que, aos poucos, vem ganhando notoriedade e agradando os mais diversificados grupos e “bolsos”. Em Alagoas, podemos destacar o Parque Memorial Quilombo dos Palmares, na Serra da Barriga, a Trilha do Visgueiro, em Maragogi, e a Reserva Particular de Patrimônio Natural, em Pilar. No roteiro dos passeios estão inclusos banhos de cachoeira, degustação de frutas tropicais, café da manhã e almoço regional, visitas à produção de artesanatos e o mais importante, o contato direto com a rica cultura local e seus atores.

   É importante destacar que o turismo rural não transforma, mas unifica o setor primário e o setor secundário da economia, já que os serviços estão relacionados à hospedagem, alimentação, transporte, artesanato, além do uso de equipamentos de lazer naturais e artificiais e, com isso, buscam a valorização do ambiente rural e da cultura local. Portanto, num cenário de crise, onde são criadas as mais variadas alternativas de renda, certamente a iniciativa de unir o campo ao turismo torna-se uma interessante saída para o pequeno agricultor e sua região.

Fabiano Santana dos Santos – Doutor em Serviço Social e Professor Adjunto no curso de Administração, na Universidade Federal de Alagoas, campus Arapiraca.

Deixe uma resposta